Arquivos

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros links
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis




Blog do Sergiomar
 


Novas resenhas a caminho:

Moonspell - Night Eternal            Vader - Necropolis

Slayer - World Painted Blood       Kiss - Sonic Boom

Megadeth - Endgame                  Immortal - All Shall Fall

André Matos - Mentalize              Hot Leg - Red Light Fever

Volbeat - Guitar Gangsters and Cadillac Blood

Judas Priest - A Touch of Evil Live

Danger DAnger - Revolve            Epica - Design Your Universe

Behemoth - Evangelion               Marduk - Wormwood

Obitury - Darkest Day                 WASP - Babylon

Tenet - Sovereign                       Ace Frehley - Anomaly



Escrito por menezes76 às 21h54
[] [envie esta mensagem
] []





The Root of All Evil - Arch Enemy - Nota 9,0

                          

Esse lançamento do Arch Enemy vem para coroar boa fase e o sucesso obtido após a entrada de Angela Gossow nos vocais, substituindo Johan Liiva.

As treze regravações ( quinze se contarmos a versão ao vivo para The Immortal e a versão de Wings of Tomorrow do Europe ), ficaram de cara nova, sem perder a pegada e técnica da sversões originais.

Considero o Arch Enemy uma banda que pratica um Thrash Metal "moderno", onde as guitarras predominam e têm em Michael Amott sua figura principal. Seus riffs e solos demonstram toda a técnica que o cara possui. Seu irmão, Cris Amott (g), faz também um grande trabalho, enquanto Daniel Erlandsson (g) e Sharlee D'angelo ( o homem multi bandas ), comandam uma das cozinhas mais coesas e técnicas do heavy Metal atual.

Destaques? Beast of a Man, The Immortal, Diva Satanica, Demonic Science, Bury me an Angel, Dead Inside, Dark Insanity, Pilgrim, Demoniality, Transmigration Macabre, Silverwing e Bridge of Destiny. ou seja, TODAS!

Todas as vbersões ganharam um toque especial evido a presença de Angela. Ouça altoe  Keep Banging!!!!



Escrito por menezes76 às 21h43
[] [envie esta mensagem
] []





Show Exodus e Kreator - Bar Opinião - Porto Alegre RS 26/10/09

Tinha tudo para ser uma grande noite de celebração ao Thrash Metal. Afinal, duas das maiores bandas do estilo tocariam/dividiriam o mesmo palco.

E estamos falando do Exodus, talvez depois do Metallica, o maior expoente do thrash metal americano, e do Kreator, que na minha modesta opinião, é  a maior banda de Thrash da Alemanha. Como escrevi no início, tinha tudo pra ser uma grande noite. E foi!!!!

Passava um pouco das 21 hs, quando os acordes da clássica Bonded by Blood se fizeram ouvir. E aí, meu amigo, o pau comeu! Rob Dukes (v), Gary Holt (g), Lee Altus (g), Tom Hunting (d) e Jack Gibson (b), entraram no palco com uma fúria maior que a do show realizado no mesmo local em 2007. E a galera respondeu prontamente.

Foram clássicos atrás de clássicos, dentre os quais Piranha, A Lesson in Violence, Toxic Waltz, Fabulous Disaster e as "novas", mas também destruidoras Black List, War is my Sheppard ( que música!!!! ) e Deathamphetamine ( outro soco na boca do estômago). Do último álbum, The Atrocity Exibition, apenas Iconoclasm. E para encerrar, Strike of the Beast! Um show que seria perfeiro, não fossem as ausências de Deliver us to Evil e And Then There Were None. Mas não dava pra tocar todas, pois o Exodus dispôs de pouco mais de uma hora. Ah, já ia esquecendo de que, lá pelas tantas, Rob Dukes teve a infeliz idéia de pegar da galera uma camiseta o Internacional. Acredito que nunca levou uma tanta vaia como naquele momento! Mas, como dito anteriormente, foi um show melhor do que o realizado em 2007.

 

Após um intervalo de 40 minutos, começa a ecoar nos PA's a introdução " The Choir of the Damned". Sou um pouco, ou um tanto, suspeito para falar, pois o Kreator é uma de minhas bandas preferidas, mas posso afirmar que foi tão destruidor quanto show de 2006. Estava um tanto receoso, pois Ventor (d), o baterista original não poderia participar da turnê no Brasil, sendo que o motivo, até agora não está muito bem explicado. Para o   seu lugar foi chamado Marco Minnemann ( Necrophagist ), que me causou mais apreensão quando subiu ao kit de bateria, pois enquanto Mille Petrozza (g/v), Samy Yli-Sirniö (g) e Christian Giessler(b), possuem um visual bem "Heavy Metal" ( eh, preconceito headbanger...), O cara apareceu de camiseta branca, bermudão e com cara de vocalista de banda grunge! Mas, ledo engano! Que baita baterista! 

Logo na primeira música, Hordes of Chaos, deu pra perceber que o cara é fera! O Kreator conseguiser melhor, pelo menos na minha opinião, do que o Exodus. Mille é um dos melhores frontman do Thrash Metal e tem um carisma que consegue ter o público sempre na mão.

E tome Phobia, Terrible Certainty, Betrayer, Pleasure to Kill, Extreme Agressions, Coma of souls... clássico após clássico a violência imperava. Em Enemy of God, um pequeno discurso de Mille contra todas as religiões. Violent Revolution, Voices of  the Dead, Warcurse ( a segunda de Hordes of Chaos ), também se fizeram presentes.

Novamente, faltaram algumas músicas, como People of the Lie, Impossible Brutality, Reconquering the Throne, mas também, havia limitação        de tempo e não era possível aumentar o setlist.

Acho que Voices of the Dead poderia ser trocada tranquilamente por Golden Age, do criticado e massacrado Endorama.

Ao empunhar uma bandeira com o logo do Kreator, Flag of Hate e Tormentor encerraram essa gloriosa noite de Heavy Metal em Porto Alegre.

* Fotos : Fabiana Menine - POA Show

26 de Outubro de 2009. Uma data para ficar na história e no coração de todos os metalheads do Rio Grande do Sul!

 

PS: Como me foi lembrado pelo grande Marcos Thor Tricolor, o Exodus também tocou Children of Wormless God, Do Atrocity Exibition! Valeu o toque!

 

 



Escrito por menezes76 às 18h55
[] [envie esta mensagem
] []



 
  [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]